Oh, it's you again.

Não me julgue.
Não tente pensar por mim.
Não me diga o que você acha que é certo ou errado.
Não me diga o que fazer;
Não me diga o que não fazer.
Guarde suas opiniões pra você.
Não fale o tempo todo,
e não espere que eu fale o tempo todo.
Se eu não quiser conversar, ou não tiver nada pra dizer, ficarei calado.
Me respeite.
Faça isso e podemos ser bons amigos.
24328 | 12.7.2014 | 1 week ago


Pensa em suicídio? Vá em frente, mas antes, tente fazer isso - roube chocolate no walmart, prove sorvete de tangerina, dirija à 220 km por hora em uma rodovia, grite o mais alto que puder dentro de um túnel, zere Sonic, Pacman e Super Mario, almoce com um policial, pule de bang-jump, escale uma montanha, leia trinta livros, vá ao show da sua banda favorita, faça uma tatuagem, apaixone pessoas que você não vai amar até descobrir que na brincadeira se apaixonou mesmo, aprenda a tocar um instrumento, escreva uma poesia, visite um parente distante e finja que as conversas da família te interessam, segure o ar por dois minutos sem soltar (não morra tentando essa parte), escreva seu texto favorito nas paredes do seu quarto, beba até vomitar, chore em um lugar público pra ver se alguém irá te consolar, piche uma frase de efeito em um muro, coma até não aguentar mais, ande de bicicleta sem as mãos, encoste a língua no nariz, cante no ventilador, abrace um mendigo, invoque satã com um tabuleiro de ouija e fique com o cu na mão. Depois de tentar tudo isso, faça o que achar melhor, que a vida é uma merda ninguém pode negar, mas algumas loucuras tornam tudo mais suportável.
Sean Wilhelm.     (via recordada)

(Source: s-eanwilhelm, via recordada)

113657 | 9.7.2014 | 2 weeks ago


676425 | 9.7.2014 | 2 weeks ago


lordofthepringles:

If I introduce a movie to you, and we watch it together, I’ll be spending at least 99.9% of the time watching you to make sure you are responding correctly to the film.

(via benmontoya)

13122 | 9.7.2014 | 2 weeks ago


A vida é um piano. Teclas brancas representam a felicidade e as pretas a angústia. Com o passar do tempo você percebe que as teclas pretas também fazem música.
A Última Música.  (via recordada)

(Source: walandro, via recordada)

24475 | 9.7.2014 | 2 weeks ago


Sinto saudades de tudo que marcou a minha vida. Quando vejo retratos, quando sinto cheiros, quando escuto uma voz, quando me lembro do passado, eu sinto saudades. Sinto saudades de amigos que nunca mais vi, de pessoas com quem não mais falei ou cruzei. Sinto saudades da minha infância, do meu primeiro amor, do meu segundo, do terceiro, do penúltimo e daqueles que ainda vou ter, se Deus quiser. Sinto saudades do presente, que não aproveitei de todo, lembrando do passado e apostando no futuro. Sinto saudades do futuro, que se idealizado, provavelmente não será do jeito que eu penso que vai ser. Sinto saudades de quem me deixou e de quem eu deixei! De quem disse que viria e nem apareceu; de quem apareceu correndo, sem me conhecer direito, de quem nunca vou ter a oportunidade de conhecer. Sinto saudades dos que se foram e de quem não me despedi direito! Daqueles que não tiveram como me dizer adeus; de gente que passou na calçada contrária da minha vida e que só enxerguei de vislumbre. Sinto saudades de coisas que tive e de outras que não tive mas quis muito ter. Sinto saudades de coisas que nem sei se existiram. Sinto saudades de coisas sérias, de coisas hilariantes, de casos, de experiências. Sinto saudades do cachorrinho que eu tive um dia e que me amava fielmente, como só os cães são capazes de fazer. Sinto saudades dos livros que li e que me fizeram viajar. Sinto saudades dos discos que ouvi e que me fizeram sonhar. Sinto saudades das coisas que vivi e das que deixei passar, sem curtir na totalidade. Quantas vezes tenho vontade de encontrar não sei o que… não sei onde… para resgatar alguma coisa que nem sei o que é e nem onde perdi… vejo o mundo girando e penso que poderia estar sentindo saudades em japonês, em russo, em italiano, em inglês… mas que minha saudade, por eu ter nascido no Brasil, só fala português, embora, lá no fundo, possa ser poliglota. Aliás, dizem que costuma-se usar sempre a língua pátria, espontaneamente quando estamos desesperados… para contar dinheiro… fazer amor… declarar sentimentos fortes… seja lá em que lugar do mundo estejamos. Eu acredito que um simples “I miss you” ou seja lá como possamos traduzir saudade em outra língua, nunca terá a mesma força e significado da nossa palavrinha. Talvez não exprima corretamente a imensa falta que sentimos de coisas ou pessoas queridas. E é por isso que eu tenho mais saudades. Porque encontrei uma palavra para usar todas as vezes em que sinto este aperto no peito, meio nostálgico, meio gostoso, mas que funciona melhor do que um sinal vital quando se quer falar de vida e de sentimentos. Ela é a prova inequívoca de que somos sensíveis. De que amamos muito o que tivemos e lamentamos as coisas boas que perdemos ao longo da nossa existência.
Clarice Lispector, Saudades.  (via recordada)

(Source: lesouveniretlamemoire, via recordada)

3980 | 9.7.2014 | 2 weeks ago


Quem quer que fossem os escritores, eram mágicos para mim. Abriam portas de um jeito diferente. Precisavam de uma bebida forte ao acordar. A vida era demais para eles. Cada dia era como caminhar sobre cimento fresco. Fiz deles meus heróis. Me alimentava deles. Minhas ideias sobre eles me sustentavam no meu lugar nenhum.
Charles Bukowski.   (via desalentou)

(Source: ostracismoliteral, via desalentou)

42929 | 9.7.2014 | 2 weeks ago


I should have loved you less.
I should have loved myself more.

(166/365) by (DS)

(via piercingsandink)

25 | 9.7.2014 | 2 weeks ago


Andamos tão desencantados que ser decente parece virtude, ser honesto ganha medalha e ser mais ou menos coerente merece aplausos.
Lya Luft (via enttreaspas)
102737 | 9.7.2014 | 2 weeks ago


Quando eu tinha 5 anos, minha mãe sempre me disse que a felicidade era a chave para a vida. Quando eu fui para a escola, me perguntaram o que eu queria ser quando crescesse. Eu escrevi ‘feliz’. Eles me disseram que eu não entendi a pergunta, e eu lhes disse que eles não entendiam a vida.
John Lennon.   (via desalentou)

(Source: c-a-n-a-r-i-o, via desalentou)

667 | 9.7.2014 | 2 weeks ago


Eu me sentia diferente da maioria. Eles se preocupavam com um tanto de coisas e se estressavam desnecessariamente. Eu, sempre me mantivera quieto, atento a tudo ao meu redor, fingia estar entendendo toda aquela loucura, mas, na verdade, não entendia bulhufas, e não estava nem aí para o mundo. Queria mais era que todos se ferrassem.
Raphael Henrique, Desalentou.  (via desalentou)

(via desalentou)